09/04/10

A vida é bela

Ontem vi este filme pela centésima vez... Lembro-me que quando saiu para o cinema fui vê-lo duas vezes, e depois disso, perdi a conta das vezes que me colou ao ecrã... Foram tantas as vezes que vi o filme como as que chorei... porque não consigo evitar...porque choro ao longo do filme, porque choro no final, porque fico sempre a pensar no que aquela gente sofreu... porque até hoje, depois de ver filmes e mais filmes, documentários, etc, não consigo compreender o holocausto... Não consigo entender o racismo puro e duro. Entendo antipatias, porque também eu as tenho... Não vou muito à bola com marroquinos... Mas não generalizo, porque já conheci pessoas de Marrocos, que punham portugueses no bolso... Já conheci pretos aproveitadores e gatunos, como já conheci pessoas maravilhosas, sendo que uma dessas é um dos melhores homens que conheço. Tenho ódio de morte a um turco, e em contrapartida, trabalhei com uma turca que de tão boa que era, dava pena. Regra geral não gosto de russos, e conheço uma russa que é uma pessoa linda! E ucranianos que trabalham (mesmo que depois se oiça que os ucranianos isto e aquilo - generalizações!). O meu cunhado é bósnio... Ele por exemplo, apanhou a guerra na Bósnia. Viveu a guerra antes dos pais conseguirem meter-se num camião e fugirem para cá. Sem saberem para o que vinham. Para onde vinham. O que os esperava. Às vezes, quando a mãe dele conta coisas, fico com um aperto no coração... ele teria 5/6 anos quando a guerra começou... eu não sei se conseguiria ter ultrapassado o trauma...
Eu não entendo. Nunca irei entender... Porque os marroquinos enervam-me, irritam-me e são parvos, mas não é geral... E por isso não iria querer vê-los todos mortos. Porque não entendo esta fixação em rotular as pessoas por cor, cabelo, etnia...
Porque não entendo o que passou pela cabeça do Hitler, e também não entendo o que passa pelas de muitas pessoas hoje em dia, que defendem um neo-nazismo, depois de tudo o que aconteceu...
Pela música, pelo filme, choro sempre a vê-lo... por aquilo que passou, e também por aquilo que ainda virá... porque os humanos não aprenderam... nem aprenderão... somos assim... calhaus...

3 comentários:

Mário disse...

Somos mesmo um bocado calhaus, mas não é de agora... E o que passou na cabeça do Hitler, mesmo que o neguem, passou na cabeça de quase uma nação inteira, porque não acredito que todas aquelas pessoas que aplaudiam o Fuhrer em Berlim tivessem armas apontadas à cabeça.

Trinca Espinhas disse...

Não quero ser advogada do diabo, mas a verdade é que há muitas coisas de que não se fala. Não tenho nada contra os neo-nazis, cada um pensa aquilo que quer. Revolta-me mais a hipocrisia daqueles que só falam em Hitler, no holocausto, nos campos de concentração nazis, e esquecem-se dos gulag, do estaline, do ataque dos aliados a Dresden, dos crimes hediondos cometidos pelo comunismo no mundo inteiro (e que ainda hoje acontecem - é olhar para a china), já para não falar na Anne Frank e naquilo que eu acredito que seja um mito.
Mas concordo que há gente boa e gente má de qualquer nacionalidade.

mau feitio3 disse...

Nunca vi o filme. Só oiço coisas boas do filme. Tenho de ir alugar. Alugar. Já não sou pirata. LOL