27/05/10

Quando somos pequeninos sonhamos muito... com casas grandes, amores perfeitos, viagens... À medida que crescemos esses sonhos vão ou não tornando realidade... Cada sonho toma uma dimensão. Nem sempre conseguimos a casa grande, ou o amor perfeito, ou a profissão, ou a satisfação pessoal... Há quem consiga tudo o que sempre sonhou, quem não consiga nada, quem consiga parte.
Depois de adultos continuamos a sonhar muito, mas esses sonhos magoam, pois lá no fundo já não acreditamos nos sonhos... não passam disso mesmo, sonhos... mas já não estamos a tempo de os realizar... - mentira. Temos todo o tempo do mundo. Sonho não tem idade, cor ou cheiro. Não tem prazo de validade ou deadline. Sonho é sonho. E cada um de nós sonha, e tem direito a tal. Se acreditamos nos nossos sonhos, já varia de pessoa em pessoa. Se somos parvos, irresponsáveis por acreditarmos, também é problema individual. Eu prefiro continuar a sonhar. Posso não realizar tudo, mas não posso acreditar que são impossíveis. Não são. Eu sou daquelas parvas que ainda sonha e ainda quer. Que o que tem não chega, não por ambição, mas porque acredita que parar de sonhar é parar de viver.

3 comentários:

Alexandre Kulcinskaia disse...

Eu sou como tu...
E considero que os meus sonhos não são sonhos, são planeamentos daquilo que vou fazer quando o que quero finalmente se realizar.
E vai-se realizar... Eu sei que vai.

Catarina Reis disse...

Só sonhando podemos planear e objectivar a vida, sem eles, nada mais resta.
Bons sonhos sempre.
Bjs Catarina

Diana disse...

Já dizia o poeta, O sonho comanda a vida. (: