28/05/10

Às vezes ele queixa-se porque não sou muito de nhenhenhes... e eu, que acho que sou um amor de pessoa, um algodão doce em forma de gente, percebo que realmente sou uma pessoa mais fechada no que toca a demonstrar afectos. Ele é uma ventosa (como eu lhe chamo), um amor, uma pessoa carinhosa até dizer chega. Eu sou carinhosa até eu dizer chega, e digo muito rápido. Não sei porque sou assim. Não sei se é porque já passei pelas coisas que passei, se é simplesmente uma característica minha, se é porque não quero dar tudo, porque dando tudo também se pode perder tudo. Sou assim com tudo. Com amigos o mesmo (excepto aqueles amigos que sempre lá estiveram). Sou assim com novos relacionamentos. Dou por mim a dizer: "Já tenho muito com quem me dividir, vou lá perder tempo com esses.' - quando a minha irmã fala em tomar café com uns amigos dela.
Eu acho que não era assim. Mas agora sou. E pior que isso, é que não me incomoda muito... tipo, sou como sou, e se sou uma bestinha quadrada, deixem lá (bestinha só, tá?).
Deve ser das patadas que se leva na vida, há quem nunca aprenda, mas eu aprendo muito bem, e depois educo-me, ensino-me para não voltar a sair magoada. E ainda assim não resulta sempre.

3 comentários:

Gingerbread Girl disse...

He he he, também não sou de nhenhenhes ... mas também me considero um doce de pessoa. :o

E entendo-te. Conheço umas cinco pessoas e chega. Não preciso de mais, não quero mais... poucos e bons.

Jo disse...

Pois...nao é ser anti-social... :p

so_risoIncógnito disse...

Às vezes penso mesmo que temos patadas da vida em comum tal os posts!
as circunstâncias da vida vão rever-se no nosso dia-a-dia e é isso que nos vai moldando o comportamento. Compreendo o que dizes, eu também às vezes não estou virada para novos relacionamentos/conhecimentos. Mas isso fecha-nos, porque habituamo-nos ao nosso grupo..